Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que a praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

Juíza Gláucia mandando a Estatal apresentar Cálculos dos que não estão na tal "lista" à 21ª VTRJ.

A Administração da Estatal tem um Prazo para Cumprir a CCT/SINAVAL, sob pena de multa.

A Administração da Estatal tem um Prazo para Cumprir a CCT/SINAVAL, sob pena de multa.
Nós sabemos que se esse Processo pela representatividade sindical chegou ao ponto onde chegou foi devido ao abuso financeiro à disposição da Administração dessa Estatal. Por isso, o Blog e o Companheiro "20 de maio de 2014" pedem que os Trabalhadores se preparem para voltarem à rua em forma de protesto. Iremos convocar os Trabalhadores para o 2º Grande Ato pelo Cumprimento da CCT/SINAVAL para os Empregados Públicos da Estatal, conforme decisão judicial, caso a Estatal negligencie o prazo dado pela Juíza e não cumpra a Convenção.

Saque o abono de R$ R$ 724,00. é necessário identidade, carteira de trabalho ou cartão do PIS/Pasep.

Têm direito ao abono de um salário mínimo (R$ 724) os cadastrados no PIS-PASEP há pelo menos cinco anos que tenham recebido até dois salários mínimos nos meses trabalhados. 

Para sacar o abono, é necessário apresentar carteira de identidade, carteira de trabalho ou o cartão do PIS/Pasep.

Jonas Victorino é aprovado no concurso de 1994. Trabalhou na Estatal até 1998.

Jonas Victorino é aprovado no concurso de 1994. Trabalhou na Estatal até 1998.
A Estatal tem um quadro com fotos e nomes de alguns trabalhadores que ela "intitula" como "bons colaboradores do ano". O blog elegeu o Bom Trabalhador da Emgepron, nas duas últimas décadas: Jonas Victorino. Ele tornou-se uma verdadeira lenda pela luta por representatividade Sindical Metalúrgica dos Empregados Públicos da Estatal.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Companheiros, a Empresa fez sua petição à uma Juíza que Está Substituindo a Juíza Gláucia durante às férias, e ela "julgou" contra nós. Essa Juíza Substituta aceitou a petição e os argumentos dos "novos" Advogados que defendem os Interesses dos Almirantes que Administram a Estatal. Essa Decisão da Tal Juíza Substituta prejudica os Empregados Públicos da Estatal. Não teremos outra Alternativa, caso essa decisão seja mantida pela Juíza, se não voltarmos à Rua do Centro em Passeata. Uma Caminhada da Candelária até ao Fórum Trabalhista gritando por Justiça!!! O Blog pede para que os Trabalhadores estejam atentos à Convocação.


Caso a decisão da tal Juíza que está substituindo à Juíza Gláucia Zuccari durante às férias em "acatar" a petição da Estatal que é prejudicial ao Passivo e ao Cumprimento da CCT/SINAVAL para os trabalhadores seja mantida por ela ignorando a realidade julgada em três instâncias trabalhistas ao longo desses 13 anos, o Blog convocará os Trabalhadores para Fazer Atos de Manifestações.


Diretor-Presidente da Emgepron Vice-Almirante Marcelio, 

Ministro da Defesa Celso Amorim, 

mantenham a palavra!


Está na nota: "Por orientação do Ministério da Defesa, o assunto passou para o âmbito das negociações, resultando, inclusive, na decisão da Empresa (Estatal) de não CONTINUAR recorrendo judicialmente."  

Em 14 de maio de 2013, o Ministro da Defesa,  "Chefe Supremo do Vice-Almirante Marcelio, e da pasta à qual a Estatal Federal Emgepron está vinculada, prometeu "uma resposta rápida" sobre o assunto. (Leia aqui.)

quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Até quando haverá injustiça contra os Empregados da Emgepron?

Como trabalhador da Emgepron, deixo claro minha indignação através desse Blog: 






Meus amigos, mais uma vez os trabalhadores provaram o real significado do termo injustiça dentro da Emgepron. 

Acho que dois terços dos trabalhadores ficaram de fora da PLR.

Os Trabalhadores sentem como se a Empresa tivesse tirado dos pratos de seus filhos o arroz e o feijão.


Os trabalhadores da Estatal, por melhor que tenham sidos avaliados pelos seus superiores, se tiveram duas faltas não justificadas no ano, ou atrasos equivalentes a mais de 16 horas no ano, ficaram de fora da participação nos lucros e resultados, ficaram sem receber nem um tostão furando (Veja tabela na página 3). 

Isso contraria a Sentença Transitada em Julgado e a intimação judicial tão falada aqui no Blog.

Veja o  que diz a Convenção Coletiva do Sindicato, a qual a Empresa está obrigada a seguir:

Segundo cláusula 8ª da Convenção Coletiva de Trabalho Setor Naval (leia aqui).

Dos trabalhadores elegíveis ao recebimento da PLR:
"Os trabalhadores admitidos durante o ano de 2013 terão direito a 1/12 (um doze avos) do valor da PLR, por
mês trabalhado, ou fração igual ou superior a 15 (quinze) dias trabalhados no mês, conforme o resultado do
alcance das metas."

Se a Empresa tirou dos Trabalhadores elegíveis à PLR, conforme o direito à democrática Participação nos Lucros e Resultados (PLR), então quer dizer também que não reconhece a Convenção Coletiva de Trabalho do Sinaval, estou certo?


Ao que parece, a Empresa está sendo mais fiel aos seus regulamentos internos que à Decisão Judicial Transitada em Julgado pelo TST, desde 2013. Ela está seguindo mais às portarias do DEST que à intimação da Juíza Gláucia.


Se a CCT/SINAVAL diz que todos, até os que tiverem um mês ou 15 dias trabalhados, têm direito à Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e a Empresa não a pagou para a grande maioria dos Trabalhadores, então significa que ela não reconhece a intimação que está no topo desse blog.

Devemos perguntar ao RH da Empresa porque não está cumprindo a ordem judicial no quesito "Cláusula 8ª da CCT/SINAVAL"? 



Devemos, antes de pressionar o Sindicato por resultados, perguntar ao RH da Empresa se, dia 1º de setembro, a empresa vai obedecer a intimação, ou não?



Não concordo com a ideia de "pressionar" o Sindicato. Isso não nos levará a lugar algum. Eles não podem forçar a Emgepron a cumprir a lei trabalhista. 

Devemos, sim, ir lá e pedir informação sobre todas essas movimentações no processo; devemos exigir deles o máximo de informação possível, mas não podemos esperar um milagre. Temos que esperar o tempo da justiça.

Concordo com os Trabalhadores quando dizem que o Sindicato está calado demais, mas lembro que, até hoje, as estratégias do Sindimetal Rio se saíram vitoriosas, e a Juíza Gláucia Zuccari Fernandes Braga é uma Juíza Justa que sabe da nossa Situação. Nenhuma manobra da Empresa se saíra vitoriosa.

Se o Sindimetal Rio é o Sindicato dos Empregados da Empresa, a Convenção Coletiva de Trabalho deve ser seguida. Mas devemos nos organizar novamente. Devemos deixar as ideias separatistas do "se farinha é pouca, meu pirão primeiro".

Estamos todos dentro do mesmo barco. Todos sendo humilhados, achacados por estar dentro de uma Estatal do Governo Federal e nem direito à piso salarial digno temos.

 Petição da Advogada do Sindimetal Rio, Doutora Cristiane,
à Juíza Gláucia Zuccari Fernandes Braga pedindo que à Juíza obrigue a Estatal Cumprir à Convenção (Documentos apresentados na última Assembleia Geral



.

Acima, resposta do Presidente do Sindimetal Rio Alex Santos não abrindo mão da Cobertura da CCT/SINAVAL para todos os Empregados Públicos da Estatal.

Nova petição da Empresa à Juíza Gláucia. Nova Movimentação no Processo, 20 de agosto.

PROTOCOLIZADA PETIÇÃO. 
      Descrição: com Endereço Atual. 
      Parte: Réu. 
      Nome: EMGEPRON - EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS. 

Minhas Pesquisas me levaram a seguinte conclusão: Trata-se de pedido do Réu para que toda Notificação,  Intimação, Penhora,  Busca e Apreensão sejam notificado ao Advogado em novo endereço.

      

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

O blog agradece o apoio do companheiro que postou essa notícia do DO nos comentários. Lembro que a petição que está no site do TRT Rio, 14 de agosto, se refere à petição feita pela empresa à Juíza Gláucia. Nessa resposta abaixo, a princípio, o autor é o Sindicato. Mas o Sindicato tem que explicar esse movimento dele dentro do processo.

Sindicato aciona o Sindicato das Calcinhas (Autônomos):

Processo: 0168800-03.2005.5.01.0021 - RTOrd

Aut: SINDICATO DOS METALURGICOS DO RIO DE JANEIRO [Adv. Sonia Ananias Citele
Jardim (OAB: RJ 80778 - D)]

Réu: Sindicato dos Empregados de Agentes Autonomos do Comercio MRJ [Adv. Wagner
Coelho da Silva (OAB: RJ 24831 - D)],

Réu: EMGEPRON - EMPRESA GERENCIAL DE
PROJETOS NAVAIS [Adv. Carlos Gomes Moutinho de Carvalho (OAB: RJ 77410 - D)],

Réu: União Federal [Procurador Procuradoria Regional da União no Estado do Rio de
Janeiro

Destinatário(s): Réu Sindicato dos Empregados de Agentes Autonomos do Comercio
MRJ,

Aut: SINDICATO DOS METALURGICOS DO RIO DE JANEIRO

Ter ciência do despacho de fls. 1570/1571, no prazo de 05 dias.

Link para a nota do Diário Oficial do Rio de Janeiro

18/08/2014 página 25 - Matéria Id: 1717104
Jornal: Parte III - F (Justiça do Trabalho)Tipo: IIIF - TRT - Expediente
Autonomos do Comercio MRJ [Adv. Wagner Coe lho da Silva (OAB: RJ 24831 - D)], Réu:EMGEPRON - EMPRESA


Notícias do Blog Metalúrgicos da Emgepron

Loading...