Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

sábado, 24 de junho de 2017

Nilo e Sindicato na Manifestação.

Vídeo da Manifestação na Praça Mauá:






O medo é o pior inimigo dos trabalhadores.

Todas essas postagens sobre essa luta é um pedido pessoal do Nilo.
https://drive.google.com/open?id=0B2-ug3ZgcxVxR0o3SWw4Yy10NVk 

    As críticas ao Nilo são covardes e desleais. As desculpas para deixar dois trabalhadores sozinhos na Manifestação são esfarrapadas e ridículas. Porque as pessoas mentem?
 
    É só dizerem que preferem ficar na comodidade. Agora, dizerem que só vão à luta se o companheiro de frente souber falar o português correto é sacanagem.

    Trabalhei seis anos aí. Lutei lado a lado com Nilo e outros trabalhadores de fibra e nesse Blog, desde 2011, tentando o que se mostrou impossível (pelo menos para mim): ativar a consciência coletiva dos trabalhadores da necessidade de união e de luta.

    Por anos, eu, Nilo, João Carlos e alguns outros íamos ao sindicato, muitas das vezes até três vezes na semana saindo de lá onze horas da noite... É verdade, nadamos e morremos na praia. Mas, a culpa foi dos próprios trabalhadores, não daquela meia dúzias de operários que iam para cima deles, se posicionavam nas escadarias da barbearia, no do Arsenal de Marinha, e nas ruas.

    Conheço o pensamento dos trabalhadores do arsenal, FAJ e LFM. Sem dúvidas vocês sentem medo de serem punidos pela administração-militar arcaica dessa Estatal, não se envolvem nas lutas por direitos por se preocupar com seus empregos e famílias. Mas é exatamente por isso que Nilo tem toda razão por dizer o que diz: ele se sente injustiçado, traído e humilhado quando o chamam de maluco e analfabeto, quando, na verdade, ele é um guerreiro com consciência político-social e sabe que os trabalhadores são roubados financeiramente por causa desse medo que submete, divide, segrega e humilha os que tem coragem e não sentem medo como ele.



 

    Há trabalhadores que falam português bonito aí, estão sempre nas comissões de "negociação" com a administração da estatal e "cipas", esses levantam a bandeira de luta? Pensam neles próprios ou no coletivo?

   Observem bem: Esses posts são um pedido do Nilo, pedido pessoal do Nilo a mim. Não tenho nenhum interesse nos assuntos Emgepron. Eu já escrevia aqui que as ações coletivas eram fracas, que cairiam, que os trabalhadores não deviam confiar em tribunais e juízes corporativistas.

    A administração-militar da Estatal precisa respeitar direitos, a Constituição Federal. 
Uma das coisas que queria fazer, fiz. "Se mantiver os olhos abertos, até o menor dos homens pode se vingar do mais poderoso" (Puzo): A Estatal estará no banco dos réus por ato de improbidade administrativa, ainda esse ano, respondendo Ação Civil Pública movida pelo Ministério Público do Trabalho:

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Nilo Sérgio, junto ao Sindicato, articula nova Manifestação em Frente ao 1º Distrito Naval, Praça Mauá.




+     ÁUDIOS QUE AJUDAM ESCLARECER UM FENÔMENO: PORQUE A MARINHA DO BRASIL, ATRAVÉS DA ESTATAL DA MARINHA, MANTEM PROFISSIONAIS METALÚRGICOS EM SEUS QUADROS COM SALÁRIOS MENORES QUE DE UM AJUDANTE.

PORQUÊ?

    Testemunho de um Trabalhador da Estatal:

https://drive.google.com/file/d/0B2-ug3ZgcxVxN011VDBnaWhPMHc/view?usp=sharing .


    Nilo Sérgio responde ao Trabalhador:

https://drive.google.com/file/d/0B2-ug3ZgcxVxdml5UGM0RkxSSVU/view?usp=sharing .

    DESCULPAS ESFARRAPADAS PARA ESCONDER UM MEDO IRRACIONAL.

    O Sindimetal Rio sempre se mostrou uma ferramenta a serviço dos trabalhadores; nunca se negou a apoiar atos organizados pelos trabalhadores da Estatal, isso é, desde que os trabalhadores tivessem a determinação de agir.

    Nesse ATO, foram os Trabalhadores, não o Sindicato, que o realizou. Foram os Trabalhadores unidos.

    Porque não continuamos unidos? Aí entra uma questão funcional interna, coisa da mente humana, não sindical:

    Nilo Sérgio é um homem corajosos. Estou falando de um homem que sabe que é um Profissional Metalúrgico, não um vendedor autônomo ou costureira.

quarta-feira, 21 de junho de 2017