Demissões na Estatal Emgepron em junho de 2018.


Peço que compartilhem nos grupos de whatsapp
A convite do Advogado, Doutor João Paulo (vídeo) estive no gabinete do Pré-Candidato a Deputado Estadual Sandro Capadócia.



 
    Muitos me perguntam porque não tenho escrito nesse Blog. A resposta é, invariavelmente, que não tenho conhecimento sobre nada do que ocorre dentro dessa Estatal. Antes de ser demitido, eu respirava o mesmo ar pesado, conseguia absorver tudo que ocorria. Depois que saí não tive retorno dos que ficaram, daí, a ineficácia de Blog.



    Sobre o encontro: Diferentemente de tantos políticos que tentamos entrar em contato, desde 2010 até 2015, e nunca tivemos respostas, Sandro Capadócia me recebeu muito bem. Tenho certeza de que, se os trabalhadores quiserem, ele vai estar com as portas abertas para conversar.

    Nesse encontro, conversamos sobre a questão das estatais e da Emgepron e expomos as questões sobre as demissões na Emgepron. Ele acenou com a possibilidade de ouvir os trabalhadores.

    Mesmo sendo candidato pelo Estado, Sandro Capadócia, se solicitado por nós, pode  auxiliar os trabalhadores da Emgepron através da ALERJ. A ALERJ tem a Comissão de Trabalho, Legislação Social E Seguridade Social que pode ser acionada contra a Estatal nas questões trabalhistas ignoradas, como essas vergonhosas demissões em massa.

    Até onde sei, o Candidato pode ajudar os trabalhadores nessa questão, porque, como é sabido, a Emgepron age ao arrepio da Lei, como agiu nessa última demissão de junho 2018 e em todas as outras.

    Os trabalhadores são empregados públicos concursados e, ainda asssim, a Administração Militar da Estatal não abre Pedido de Demissão Voluntária, PDV: CLT, no art. 477.

    Uma vez que a empresa alega demitir em massa por motivos de equilíbrio econômico entre renovações de contratos com Arsenal de Marinha, não poderia demitir os empregados públicos que acha que deve demitir, há regras para isso. Sem negociação, sem ciência do sindicato, a Estatal age como se fosse autossuficiente e não é.

    Por isso, peço aos trabalhadores que pensem. Formem comissão e conversem, se organizem, discutem a situação e lutem.

https://www.facebook.com/sandrocapadocia23/

    Até onde pesquisei, Sandro Capadócia tem o apoio da Arquidiocese do Rio e trabalha nas comunidades com ações sociais.

Postagens mais visitadas deste blog

Recado da Doutora Regina aos trabalhadores e ex-trabalhadores.

Quem tem direito ao Expurgo do FGTS dos Planos Collor e Verão?