Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

sábado, 26 de março de 2016

Segundo informação os Empregados da Estatal Amazul estão operando no AMRJ, numa Marinha do Brasil que deve R$ 100 Milhões de Reais à Estatal Emgepron.

(Sindimetal Rio).AMANHÃ, DIA 29/3, ATO UNIFICADO NA PRAÇA MAUÁ, ÀS 16 HORAS.A Cara da Estatal da Marinha do Brasil e...
Publicado por Metalúrgicos da Emgepron em Segunda, 28 de março de 2016

AMANHÃ, DIA 29/3, ÀS 16 HORAS, ATO UNIFICADO DOS TRABALHADORES NA PRAÇA MAUÁ, EM FRENTE AO MUSEUS DO AMANHÃ.

(Leonardo Boff sobre Juiz Sérgio Moro: "Não esqueça que ele presidiu o processo do escândalo dos bilhões do Banestado que beneficiou o PSDB. E tudo foi abafado. Há santos sim, mas muitos são de pau-oco".)
        "Numa Marinha do Brasil que deve R$ 100 Milhões de Reais à Estatal Emgepron", os Empregados Públicos da AMAZUL S.A estão a substituir a mão de Obra da dos Empregados Públicos da Emgepron? Que Jogada esperta é essa? 

A Odebrecht em Negócios da Marinha do Brasil no Projeto Nuclear: https://www1.mar.mil.br/amazul/sites/www.mar.mil.br.amazul/files/upload/AssinaContrato.pdf. https://www.facebook.com/metalurgicosdaemgepron/posts/590122847811587.

    Trabalhadores da Estatal denunciam que a Estatal, na modalidade de Sociedade de Economia Mista,  a Amazul (AMAZUL S.A) com Sede em São Paulo, sem representação Sindical no Rio de Janeiro, está operando no Arsenal de Marinha do Rio de Janeiro.

    Os Trabalhadores que se comunicam comigo acham que gradativamente os Trabalhadores da Estatal Emgepron serão substituído por esse Braço da Marinha e da iniciativa privada e que esse é um dos motivos de tantas demissões no Quadro da Estatal Emgepron; desde 2011 pode-se contabilizar, por alto, mais de 1300 trabalhadores demitidos.

    A diferença da AMAZUL S.A para a EMGEPRON é que a AMAZUL S.A tem  49%  das Ações, no mercado, nas mãos de acionistas "anônimos" (S.A = Sociedade Snônima) (entenda melhor).

    O fim de uma Estatal cujo modelo é Empresa Pública de capital fechado, com lucro sendo totalmente contabilizado e, em tese, devolvido para União (fazenda) e a entrada nas Organizações Militares da Marinha de uma Administração Pública Indireta que, em seu bojo, tenha acionistas é bem entendível, visto a entrega de serviços antes feitos por Empregados da Estatal às empresas terceirizadas. No Brasil, a "terceirização pública" sempre foi um negócio lucrativo.

    Outro ponto, segundo Trabalhador que ajuda o Blog, o Ministério Público esteve, na segunda-feira, no Arsenal de Marinha, mas os trabalhadores receberam licença fome exatamente nesse dia.

   Como sempre faço, perguntei a segundo trabalhador  sobre essa ida do MP ao Arsenal de Marinha, no entanto, ele disse não saber de coisa alguma (veja que ida do MP ao AMRJ já aconteceu antes também, quando denunciei as ameaças de demissões em massa que aconteceria em julho de 2015 à Procurador Isabela Terzi: veja).  Tomei a informação como mal entendido. Mas, como outros trabalhadores continuam afirmando a ida do MP ao Arsenal, peço que os que tiverem informações sobre isso façam contato. Lembro-os que o Auditor Fiscal "solicitado pela Estatal" ao Juiz vai estar na Sede da Emgepron ainda essa semana. Minhas dúvidas, uma vez que estou limitado à informações de companheiros, sem subestimá-los mas reconhecendo o "poder dos boatos naquela OM", é se o pessoal não está fazendo confusão" entre a ida do MP e a do Auditor Fiscal.

    Por isso que peço que os que estão trabalhando respondam se essa história de MP ter ido ao AMRJ tem fundamentos ou se são boatos. A afirmação dos Trabalhadores se dá pela Administração do AMRJ não ter publicado a Licença Fome no Plano do Dia e não mais publicar com antecedência.

    Peço que todos que puderem continuem fotografando e mandando pelo WhatsApp, para os Grupos, as fotos da Amazul operando no AMRM e substituindo gradualmente os Trabalhadores da Emgepron. Isso pode ajudar.

    Só lamento que isso não tenha sido feito a tempo, porque, como publicado na postagem anteriores, o Sindicato tinha 5 dias para documentar as provas das terceirizações. Mas, a Amazul, em documentos assinado pelos Ministros Celso Amorim (Defesa), Guido Mantega (Fazenda) e Miriam Belchior (Planejamento), não poderia perder o FOCO e trabalhar em apoio a serviços da Marinha do Brasil. Isso pode ser denunciado de forma forte e consiste.

LUTAS HOUVE, MAS FOMOS PUNIDOS.







http://www2.senado.leg.br/bdsf/bitstream/handle/id/470572/noticia.htm?sequence=1.
    Segundo informação, os Empregados da Estatal Amazul estão operando no AMRJ. Eles têm sido muito vistos próximos ao Edifício 11 (administração do AMRJ).

7 comentários:

  1. ALEXANDRE OQUE OH SINDICATO PODE FAZER DE CONCRETO COM ESSA INFORMAÇÃO CONTRA AH EMGEPRON

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Suelene, com todo respeito: Qual o ano de seu concurso? Qual sua função na Estatal? Pesquisando seu nome não encontrei concurso para Estatal com ele, isso não é problema já que muitos que entraram até 2008 não tinham divulgação do concurso na Internet.

      Mas, meu negócio é com a gente: O que vamos fazer sobre isso? A massa de trabalhadores é mais poderosas que qualquer sindicato. Somos os sacaneados, nós que devemos reagir.

      A linha de ação do sindicato é o judicial (isso é, se os trabalhadores não reagirem), afinal, estão dentro da legalidade institucional. Não podemos confiar em judiciário nenhum, nem mesmo em homens sindicalistas.

      Ou os 570 demitidos e os 1200 se unem e reagem ou só lamentem tudo isso.

      Falo isso com descrença na instituição ao ver recursos e petição à Controladoria da União serem dados com perda de objeto pelos servidores. Vimos o MPT pôr o galho dentro, agora vi a controladoria Geral da União (CGU) pôr o galho dentro também... Vamos ver se Recurso à Comissão Mista de Reavaliação de Informações (CMRI) mude esse quadro sobre omissão da CGU às meias respostas da Administração da Estatal.

      Quem não têm medo dos Militares da Marinha são os Trabalhadores que os enfrentam na luta por direitos, que sabem que não estão errados por lutarem por seus direitos coletivos e não na mesquinharia do individualismo fragmentado.

      Até agora, somente um companheiro entrou em contato falando da AMAZUL dentro do AMRJ, não há provas concretas como fotografias, documentos.

      Se houver provas, há forma de denunciar isso ao Ministério Público alegando desvio de finalidade da Estatal, já que no AMRJ não há nada de nuclear operando.

      Mas, até termos provas...

      Excluir
  2. ALEXANDRE OH SINDICATO VAI DENUNCIAR SOBRE AMAZUL

    ResponderExcluir
  3. alexandre falei com o deputado federal,ele me deu o telefone de brasilia, ele quer marca um encontro para saber mais da nossa situaçao se vc quizer o tel dele eu ti dou amigo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você me deu um cartão com o número do Assessor dele. Liga voc~e mesmo e marca a reunião, avisa por aqui o dia e a hora e, se você quiser, estarei presente.

      Excluir
  4. bom dia alexandre onde vai se a manifestação? joão e sueene estao marcando pra gente ir pra outro lugar seu blog marca outro.qual o lugar que vai ser. no degmm ou na praça mauá? define aí por favor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você está enganado (a). A convocação não foi feita por mim. Aqui, só dou publicidade. Foram Nilo Sérgio e Sindicato que convocaram o ATO no Boca de Ferro, no protesto do dia 16/3. Eles marcaram data, horário e lugar. Qualquer mudança deve ser discutida com eles.

      Excluir

Quando um homem perde a fé em algo, ele perde a motivação de lutar por esse algo.

Devida situação atípica, os Comentários estão abertos.