Ao Senhor Vice-Almirante Francisco Antônio de Magalhães Laranjeira, Diretor-Presidente nomeado Pela senhora Presidente da República Dilma Roussef:


Extrato de Inexigibilidade de Licitação publicado em Diário Oficial da União "DOU" para dar publicidade exigida à Contratação da Empresa Privada "FIA" por quase R$ 1 Milhão de Reais por um PCS que nunca chegou até ao Ministro de Estado da Defesa Celso Amorim e nem ao atual, Jaques Wagner.

Enviem mensagem ao Ministro de Estado da Defesa Jaques Wagner (link).


Não há crianças trabalhando na Estatal Federal Emgepron.
É imprescidível que os Empregados da Estatal denunciem, lutem na Justiça.


 

    É importante que os Empregados da Estatal leiam esse informativo da Emgepron disponibilizado abaixo, que entendam a complexidade administrativas que é a Emgepron, seu valor para as Organizações Militares Prestadoras de Serviços (Marinha) OMPS (obs.: por questão pessoal, o acesso ao conteúdo será liberado mediante pedido feito por e-mail solicitado no link):

https://drive.google.com/file.

    Principalmente para àquelas pessoas que estão pedindo seus direitos à reintegração ao Quadro de Empregados da Estatal, após àquela carnificina na Fábrica de Munição da Marinha do Brasil "FAJ", Sede da Estatal, baseados no Recurso Extraordinário 589.998 do Supremo Tribunal Federal/STF. É importante que leiam atentamente essa exposição no documento acima e enviem-no aos seus advogados.

Senhor Vice-Almirante Laranjeira, Diretor-Presidente nomeado Pela senhora Presidente da República Dilma Roussef à Administrador dessa Estatal (leia a Nomeação desse Alto Oficial da Marinha do Brasil à Diretor da Estatal no DOU) do Governo Federal, 


Na Estatal Emgepron, há uma covardia cruel e desleal contra os Trabalhadores.  O senhor deveria se envergonhar disso.
  
    Se todos os Trabalhadores da Estatal tiverem entrado com suas Ações Individuais, todos que estão sendo sumariamente demitidos processarem/denunciarem ao Ministério Público os Administradores e chefes imediatos das OI's das OMPS, sejam eles Civis da Empresa Privada FEMAR, da Empresa Pública Emgepron, Servidores do Regime Jurídico Único (RJU) ou Militares por suprí-los do Direito inalienável ao artigo 37, caput, da CF/88 e do artigo 2º da Lei n° 8429/92, esses homens, antes de atentarem contra os direitos de vocês, temeriam fazê-lo.

    Os dirigentes brasileiros, sejam eles políticos, cidadãos Comuns, homens de negócios da iniciativa privada ou gestores públicos, militares, por suas naturezas culturais, herdadas do patrimonialismo imperial português, não estão habituados a respeitar direitos coletivos e inviduais, às leis e à Constituição Federal do País sem serem instigados a isso por força coercitiva da Justiça.

    Lutem por seus direitos, sim. Mas será um erro, se não lutarem por uma justiça coletiva e sem discriminações, até porque foi isso que a Estatal pediu através do Advogado de R$ 1 Milhão e 500 Mil Reais (DOU), ouçam o aúdio da Audiência do dia 23/9/2014 (link): O Dr° Medina "convenceu" à Juíza Gláucia Zuccari de que os Empregados da Estatal entrassem com Ações Individuais para obter Direitos à CCT/SINAVAL, se assim desejassem.

Visitem o Blog www.metalurgicosdaemgepron.blogspot.com.br.Conheçam a luta dos Empregados da Estatal Emgepron, a serviç...
Posted by Metalúrgicos da Emgepron on Sexta, 25 de setembro de 2015

Postagens mais visitadas deste blog

Recado da Doutora Regina aos trabalhadores e ex-trabalhadores.

Trabalhadores da Estatal sofrem novas demissões em massa hoje.

Demissões na Estatal Emgepron em junho de 2018.