A injustiça, os Empregados Públicos da Estatal e os Almirantes da Marinha do Brasil.

Uma Vitória e tanta de um Trabalhador da Estatal. Mais um Grande Símbolo para aqueles que aguardam justiça: "O Trabalhador acima é lotado na FAJ, foi demitido, reintegrado à FAJ e será indenizado pela Estatal, como podem ver."

   O limite e o máximo são os homens que ditam.

   A situação dentro da Emgepron é, de certa forma, culpa dos próprios trabalhadores que se amedrontaram frente as demissões em massa ao deixaram que militares determinassem essa situação covarde vivida pelos trabalhadores. É injusto e covarde.



 
 A atitude do Almirante em dizer que os trabalhadores não devem lutar por seus direitos por que a hora é de preservar o emprego, para mim soa ofensivo. Respeito a posição desse homem, respeito todo esforço e estudo de toda vida qu ele empregou para estar na posição que se encontra, mas desejaria ao Almirante que ele estivesse na pele de qualquer um dos Empregados Públicos da Emgepron; que tivesse que sair de madrugada e não poder deixar um real sequer para o pão da manhã por falta de dinheiro. Desejaria isso a todos Dirigentes do AMRJ, FAJ , LFM e EMGEPRON. Se estivessem na pele dos Empregadis da Estatal, os Almirantes incentivariam a luta por justiça salarial.

   Torna-se muito fácil para homens que recebem na EMGEPRON mais de 25 mil reais ignorar salários justos a trabalhadores da Emgepron.

   Toda covardia sofrida pelas suas famílias, trabalhadores, é culpa dessa inércia dos trabalhadores. Companheiros, desde que a Juíza Gláucia nos deixou na mão e  nos lançou a própria sorte, temos continuado sob a injustiça. Homens que deveriam pagar salários justos, contratam Advogado de honorário de Um Milhão Quinhentos e Quarenta e Oito Mil Reais que tenta anular a sentença que julgou procedente o reconhecimento de que, na Estatal, a atividade é a metalurgia naval. 

   São 1700 trabalhadores. A maioria esmagadora não saem à luta, se intimidam.

   Chamo de covarde o Ato da Administração Pública da Estatal remunerar seus profissionais com pisos de R$ 800,00. Tão covarde quanto a Administração da Estatal, são os Diretores dos Órgãos da Marinha do Brasil que se aproveitam dessa remuneração covarde que é paga aos trabalhadores. 

   Companheiros, quando a economia estava indo em "Mar de Almirante e Céu de Brigadeiro" a Estatal anunciou três empresas (pelo menos uma delas recebeu quase Um Milhão de Reais) para elaborar um PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS. Ambas empresas privadas fizeram o PLANO DE CARGOS E SALÁRIOS encomendados pela Administração da Estatal, mas nunca aplicados. Não entendo como um Almirante, sabendo dessa realidade de humilhação sofrida pelos Empregados da Estatal, tem coragem de insinuar que "não é hora de lutar na justiça por nada, mas de preservar o emprego"? Se coloque na situação de um desses homens e mulheres e diga a si mesmo que não sonhe com a justiça vinda de um Tribunal. 

   Senhores Almirantes Diretores de Órgãos da Marinha do Brasil que se aproveitam da mão de obra dos Empregados da Estatal Emgepron, façam justiça a esses pequeninos, pois, se houver um juízo após a morte, os senhores terão uma conta a acertar com o Eterno e Justo Juiz 

   A baixa remuneração tem causado problemas sérios aos Empregados da Estatal.


Postagens mais visitadas deste blog

Recado da Doutora Regina aos trabalhadores e ex-trabalhadores.

Trabalhadores da Estatal sofrem novas demissões em massa hoje.

Demissões na Estatal Emgepron em junho de 2018.