OFICIAIS DE JUSTIÇA DIZEM QUE LOCALIZAÇÃO DA SEDE DA ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL É "ÁREA DE EXTREMO RISCO" E NÃO INTIMAM O ALMIRANTADO QUE ADMINISTRA A ESTATAL.

Estatal se acha desobrigada a reajustar Pisos Salariais e Apresentar Cálculos retroativo por que os Oficiais de Justiça dizem que a Sede da Estatal se encontra em "ÁREA DE EXTREMO RISCO" e deixam de intimar a Administração Militarizada da Estatal.

 A tamanha "sorte"que a Administração da Estatal tem tido,

   iniciou-se com um Trabalhador que trabalha no mesmo AM que o >>>>; esse trabalhador foi o primeiro a procurar o escritório de advocacia na Travessa do Ouvidor, junto com o Coco, e, por duas ou três vezes, a Audiência desse trabalhador foi adiada por que os Oficiais de Justiça não entregavam a intimação na Sede da Emgepron a "tempo". Com isso a Administração se eximia da responsabilidade de se defender em Juízo dizendo que não foi comunicada pelo Oficial de Justiça em tempo hábil.


  Bem, a "sorte" da Administração da Estatal só vem aumentando, desde então:



   O que acontece é que, segundo me informou a Maria, secretária da Drª Regina, os Oficiais de Justiça não têm entregues as intimações de cumprimento de sentenças expedidas pelos Juízes das Varas de Trabalho à Administração da Emgepron e citam, como motivo, no maior descaramento: IMPOSSIBILIDADE DE CITAÇÃO DO DEVEDOR. LOCAL CONSIDERADO "ÁREA DE EXTREMO RISCO".

   Companheiros (as), não cabe a nós quaisquer conjecturas sobre essa "sorte grande" que a Administração da Estatal tem tido, mas o jeito mais fácil está sendo tomado: O próprio trabalhador, em sigilo, irá levar o Oficial de Justiça até a Sede da Estatal que fica no Edifício Almirante Raphael de Azevedo Branco, Ilha das Cobras, 1º Distrito Naval. 

Pergunto-me: Onde o 1º Distrito Naval é Área de Extremo Risco?

  Essa desculpa dos Oficiais de Justiça tem sido, segundo Maria, secretária da Drª Regina, o motivo de a Estatal ainda não ter sido obrigada a depositar em Juízo o novo piso salarial e apresentar os cálculos, conforme ordenado, pois a Estatal precisa ser intimada fisicamente; segundo o Escritório da Drª Regina, as intimações de clientes de outros Advogados, como os da Av. Rio Branco e os da Travessa do Ouvidor, têm tido as mesmas desculpas dos Oficiais de Justiça:  IMPOSSIBILIDADE DE CITAÇÃO DO DEVEDOR. LOCAL CONSIDERADO "ÁREA DE EXTREMO RISCO".

   O que o Escritório da Regina passou para mim é que para que efetivamente a Estatal seja obrigada a reajustar os salários dos Trabalhadores, que já tiveram a ordem de Cumprimento de Sentença, a Administração da Estatal tem que ser intimada pelo Oficial de Justiça.

   Pelo que disse a Juíza Gláucia, ela não dará uma sentença coletiva. A sentença tem que ser individual tendo como escopo o Processo que transitou em Julgado que determina o enquadramento dos Empregados como representados pelo Sindicato dos Metalúrgicos do Rio de Janeiro (SINDIMETAL RIO). Pouco importa para quem a Administração da Estatal está recolhendo seus impostos sindicais anuais e está registrando em suas CTPS, o que importa é o que está registrado na Sentença: O Sindicato representativo dos Empregados da Estatal é o Sindimetal Rio.

   A Advogada de Niterói e os Advogados da Avenida Rio Branco e Travessa do Ouvidor têm conseguido vitórias para os Trabalhadores. Eles têm conseguido, juridicamente, com que a Emgepron cumpra a sentença dada em 2009, transitada em julgado no TST em 2013. 

   As intimações têm sido numerosas, pois calculamos que mais de 400 trabalhadores possam estar pedindo seus direitos a piso salarial, equiparação e retroativos na Justiça, conforme mandou a Juíza Gláucia Zuccari (áudio).

Postagens mais visitadas deste blog

Recado da Doutora Regina aos trabalhadores e ex-trabalhadores.

Trabalhadores da Estatal sofrem novas demissões em massa hoje.

Demissões na Estatal Emgepron em junho de 2018.