Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

A cada mês que se passa, a situação financeira dos Trabalhadores vai piorando por causa desse Estrangulamento Salarial. Se nada for feito pela Estatal, a coisa só tende a piorar cada vez mais.

   Aos Trabalhadores, 

Conforme foi combinado, entrei em contato, hoje, às 15h50min, com a Secretária do Almirante Mário

  A Secretária do Diretor do AMRJ disse que ele entrou em contato com os Administradores da Estatal, mas não obteve resposta (até o momento em que fiz o contato) e disse a mim que ele pediu que tenhamos paciência (peço que entendam que esse termo usado pela Secretária do Diretor "tenham paciência" não teve conotação de desdém da parte do Almirante, mas teve sentido de que eles precisam de tempo para nos dar essa resposta que procuramos).

   Só que, cada mês que vai passando, a situação financeira dos Trabalhadores vai piorando o que faz com que a paciência pedida pelo Diretor do AMRJ seja um luxo que não possuímos. Ter Paciência significa ter tempo para dar e isso é algo que não temos, pois nossas famílias e dívidas esperam por um desfecho. Não são poucos os casos de vínculos familiares destruídos, necessidade básica de alimentação que não podem ser supridas, pais e mães de famílias cujos nomes estão no SPC e SERASA devido a esse Arrocho Salarial impiedoso imposto aos Empregados Públicos da Estatal Federal Emgepron. Essa situação, a que somos expostos, tem nos afligido.

   Mas, ainda assim, peço aos Trabalhadores, como foi proposto anteriormente: precisamos aguardar até o final do mês.

   Agora, com resposta da Estatal (mesmo se for positiva ao pedido de sobrevivência feito pelos Trabalhadores à Estatal), ou que seja negativa, ou que não haja resposta da Estatal dentro desse limite de tempo, no primeiro dia de Trabalho do mês de Março, o Blog e outros Trabalhadores que entendem a necessidade de haver busca de solução à essa angústia sofrida pelos Trabalhadores irão pedir para que todos os Trabalhadores se reúnam, às 12h30min, atrás da Banca de Jornal, no AMRJ, para debatermos alguns pontos e assuntos que serão levados à Reunião.

   É importante que os Trabalhadores estejam presentes, pois, teremos decisões importantes a serem discutidas nesse dia, antes dos ATOS de Protestos nas Ruas do Centro do Rio.

  O Blog pede que, na segunda-feira, 23/02, os Trabalhadores divulguem essa notícia pelo AMRJ: Dia 02/3/15, haverá reunião dos Trabalhadores atrás da Banca de Jornal.

   Observem, por favor: A Reunião não será na Escadaria, próximo ao Ponto de Ônibus dos Trabalhadores da Sede: a Reunião será atrás da Banca de Jornal, próximo a Barbearia.

   Tudo que precisamos é que a Estatal nos ajude, até que esse PCS da FIA seja aprovado. 

   Tanto eu quanto os outros três trabalhadors entendemos com perfeição a Relação Emgepron e AMRJ. Entendemos que não há verbas (Orçamento) da União para o AMRJ cobrir as faturas mensais com o Pessoal da Emgepron e que é o AMRJ quem tem que se virar, todo mês, para cobrir essa fatura. Isso é ponto pacífico entre os Trabalhadores. Mas, isso significa, também, que esse PCS da FIA é aumento da folha e custos para o AMRJ, então nos perguntamos: "Será que haverá um PCS da FIA?"

  Não nos compete responder essa pergunta acima, mas, uma coisa é fato: "não podemos passar mais esse período, 2015-2016, sob esse Arrocho Salarial".

   Esperamos que a Administração da Estatal, entenda a situação vivida pelos seus Empregados e faça, juntamente com o Diretor do AMRJ, o que nós, Trabalhadores, sugerimos: "Que haja redução no preço cobrado aos filiados ao PAMSE (Plano de Saúde da Emgepron) e que esse valor simbólico da Cesta Alimentação (R$ 56,00) passe para o valor de R$ 500,00. Isso para que os Trabalhadores possam inteirar esse valor e conseguir sustentar sua casa e pagar suas contas e impostos com seu salário líquido, em torno de R$ 700,00".

   Baseando-se na Instrução Normativa SRF Nº 011 de 21 de Fevereiro de 1996 (DOU de 22/02/1996), art. 27, parágrafo único, leiam a lei: "A dedutibilidade a que se refere este artigo independe da existência de Programa de Alimentação do Trabalhador e aplica-se, inclusive, às cestas básicas de alimentos fornecidas pela empresa, desde que indistintamente a todos os empregados." Podemos entender que esse valor será facilmente deduzido no Imposto de Renda da Estatal. De acordo com a Lei nº 8.981, de 20 de Janeiro de 1995 (leiam-na no art. 30, parágrafo único), Empresas Públicas e Sociedades de Economia Mista pagam seus Impostos de Renda.

   Uma Empresa, seja Pública ou Privada, que pensa na condição vivida pelos seus Empregados terá não somente Empregados, mas verdadeiros aliados.
------

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Quando um homem perde a fé em algo, ele perde a motivação de lutar por esse algo.

Devida situação atípica, os Comentários estão abertos.