Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

sábado, 14 de fevereiro de 2015

Tivemos, nesta semana, um exemplo do que temos que fazer para chamar a atenção da população para a situação na qual vivemos, neste estado de miséria salarial.


As fotos foram copiadas do site G1 (vejam).

Funcionários do COMPERJ fecharam a Ponte Rio-Niterói




Meus amigos, tivemos nesta semana um exemplo do que temos que fazer para chamar a atenção da população para a situação na qual vivemos, neste estado de miséria salarial. Mostrar, mesmo trabalhando em uma estatal da Marinha, nosso salário de passar fome.


Vamos fazer uma faixa com o nome da empresa para mostrar as pessoas que estamos lutando pelos nossos direitos e que a Justiça está a nosso favor.


No dia e hora marcada, sairemos para pegar o ônibus e soltaremos próximo ao Mocanguê e de lá sairemos em direção ao Rio.


Peço a todos que fiquem atento para esse dia, pois será o dia do nosso grito de liberdade, que será ouvido por essa diretoria insensível, que será ouvido em Brasília, no Brasil e pelo restante do mundo!



Ass: xxxxx

   A ideia é excelente e possível de se pôr em prática e, uma vez que já foi explorada pelos Trabalhadores da COMPERJ e foi bem sucedida, a imprensa irá cobrir nosso ATO e divulgar a motivação. Um ATO como esse pode decidir no TRT essa Ação Rescisória que nos prejudicará, caso venha ser vencida pelo Advogado Drº Medina. 

  Mas, como falei com xxxx por telefone, devemos discutir, de forma ampla, os detalhes desse ATO com os demais trabalhadores.

   Companheiros, todos esses planos de Ação precisam contar com a força de apoio dos Trabalhadores. ATOS como esses só fracassam se houver medo  e covardia mesclados.

   É natural que haja medo de demissão, retaliação, etc., mas pensem em suas famílias em casa, isso trará coragem.

6 comentários:

  1. Não postem esse comentário por favor pra não desmotivar: concordo com o ato, só não sei se é uma boa idéia partir de niteroi. vocês conhecem o nosso povo, a grande maioria de nós que trabalhamos no AMRJ mora em niteroi/são Gonçalo. A exemplo do que aconteceu na marcha até o trt, que conforme foi avançando foram pegando seus ônibus e indo pra casa, o que será que ira acontecer começando em niteroi? Será uma caroba muito bem vinda pra casa. Adimitam, nosso povo é muito filho da puta, fazer algo em niteroi é dar um tiro no pé. Pensem nisso!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não vejo porque não publicar seu ponto de vista?

      Penso que é o melhor momento para que os trabalhadores se confrontem com o que você escreveu. Assim como o que fizeram com os menos de 30 homens em frente ao ponto de ônibus dos Trabalhadores da Sede, no último ATO de Protesto Silencioso (nos deixaram sós) e considerei aquilo o cúmulo da covardia dos que estando no AMRJ passavam longe ou se escondiam da responsabilidade de estarem ali, protestando contra essa agressão a eles e os dependentes deles, assim é seu ponto de vista.

      Acho que todos que lerem seu comentário devem pensar sobre às ações dos que abandonaram o ATO em 20 de maio de 2014 e os que abandonaram os menos de 30 homens nos protestos no AMRJ.

      Excluir
  2. Todo ato precisa ser pensado, muito bem articulado. Fechar a Ponte, após o protesto dos trabalhadores do Comperj seria muito perigoso a meu ver, visto que descer próximo BNRJ seria por demais perigoso. Com certeza esse Blog e monitorado pela Inteligência da MB e marcar previamente esse protesto seria como convidar os fuzileiros para reforçarem a segurança.
    Como disse, para o protesto ser percebido, tem que haver união entre os trabalhadores. Já dei idéia de um apitaço sincronizado, da produção zero, da operação tartaruga, formas de demonstrar a insatisfação. Todos os trabalhadores irem a porta da Emgepron de forma silenciosa durante o expediente todos os dias... Tudo isso já expus e pelo jeito passou despercebido.
    O protesto na Ponte pode ser uma alternativa que não pode se descartar, desde que haja unicidade com todos sobre esse ato e que todos estejam conscientes das consequências que se podem gerar.
    Amigo do Blog

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Os Atos, inclusive o protesto em frente a Sede, foram os objetivos dos protestos silenciosos no AMRJ.

      O Objetivo inicial dos Protestos era que, quando tivéssemos um grupo de cem trabalhadores conosco na escadaria, junto ao Ponto de Ônibus dos Trabalhadores da Sede, sairmos, todos os dias, durante o horário de Almoço, para frente da Sede, e entoarmos o Hino Nacional, com respeito e reverência, como lembrete ao Vice-Almirante Marcelio que não somos "estrangeiros" na Estatal... Lembrar aos Doze Administradores da Estatal que somos brasileiros natos e temos direitos Constitucionais, no art 8º, 37 e 173; direitos na CLT que devem ser respeitados e outras leis que regem o Serviço Público na Administração Indireta.

      Mas, antes que esse objetivo de conseguir o utópico número de 100 homens ou Mulheres para esse ATO de Protesto em frente a Sede da Estatal fosse conquistado (tivemos muita sorte de sermos chamados para essa conversa com o Almirante Mário, pois o Grupo que iniciou os Protestos estava se reduzindo mais e mais a cada dia e, por fim, só restariam poucos, talvez menos de dez homens, com disposição suficiente para continuação daquele ATO), o Diretor do AMRJ nos chamou para entender o que pleiteávamos com os Protestos comprometendo-se, literalmente, ser um elo entre nós e a Empresa e a levar até eles nosso pedido de "sobrevivência" literal.

      Vamos procurar o Diretor do AMRJ, em breve, para saber se houve respostas da Estatal, sim ou não, ou não houve reunião, ou não houve respostas da Estatal, então os ATOS de Rua combinados serão postos em prática.

      Para esses ATOS, vamos precisar de algo que considero impossível, frente a estagnação e medo que os trabalhadores sentem quando o assunto é lutar pelo bem estar básico para suas respectivas família e o deles próprios: esse ATO não dependerá somente dos 25 homens presentes no último protesto no AMRJ, mas, como no ATO de Manifestação em 20 de Maio de 2014, vamos precisa de todos os Homens e Mulheres que Trabalham na FAJ, LFM, AMRJ e outros Projetos.

      Exceto esse ATO, o que o João propôs agora, vendo a repercussão dado a Causa Trabalhista COMPERJ, os dois últimos (HEMORIO e MPT) foram discutidos, amplamente, com uma pequena parcela de trabalhadores, mas homens com influências, presentes à Reunião convocada pelo Nilo na CTB para discutirmos ideias sobre o que fazer diante dessa situação desesperadora em que os Trabalhadores estão vivendo. A União dos Trabalhadores para vencer é essencial, ou estaremos fadados ao fracasso dos ATOS.

      Tenho para mim que devemos alçar voos mais altos; temos que pensar em agir diferente da forma que estamos agindo, sem depender de coragem de ninguém e irmos a Brasília (não com uma utopia de levar massa de trabalhadores, em ônibus fretados, para protestar contra Almirantes, Marinha, AMRJ, Emgepron ou coisas semelhantes, afinal, isso já foi feito lá, pelo Sindicato, e nada de positivo a nós aconteceu), devemos ir, sem bandeira de Sindicatos ou Política, mas com uma pequena comitiva de trabalhadores com objetivos únicos que é nossa Situação Salarial que não tem tido reajustes reais desde o último PCS em 2007 e nossa luta por solução a esse Arrocho Salarial que afligem todo um contingente de trabalhadores, tendo em mãos um abaixo-assinado assinado pela maioria dos Trabalhadores autorizando as vozes dos Trabalhadores que irão falar em nome de todos para tratar do Assunto Remuneração Salarial.

      Mas, essas Manifestações de Rua devem acontecer, como previstas e, se surtirem o efeito que vamos buscar, podem vir a ser usadas como uma passagem de subida à Brasília, se houver exposição na mídia...


      Pense nisso.

      Excluir
    2. Parabens Alexandre........ Você tem cabeça para coisas grandes.......

      Seu planejamento é perfeito meu amigo. So que ninguem na Emgepron tem a mesma coragem que você tem. Somos um bando de covarde mesmo. Você tem razão quando infia a agulha na nossa costela. Eu, assim com a a maioria vimos vocês e demos a volta la pelo 17, pelo ctms para não passar por vocês. Fiquei puto assim como a maioria ficou porque voce e os outros pediram só cesta alimentaçao. Mas que tem coragem igual a sua e dos outros quatro?

      Eu apoio essa ideia mas peço que a gente envie gente com nivel superior eles entendem melhor de leis e sabem conversar. E nao vao pedir cesta alimentação pro ministro.

      Excluir
  3. Vamos ter esperança nesse almirante; pois quando tudo estava perdido, você já não tinham mais a confiança no sindicato, apareceu esse almirante querendo ajudar.

    Nesse caso não é preciso nível superior ou outros títulos. Basta ter honestidade e humildade.

    Sendo assim, vocês só precisam ter mais união e seguir o exemplo dos trabalhadores que pararam a ponte Rio - Niterói.

    Vamos confiar que tudo dará certo.

    Que a paz de Jesus der sabedoria a todos.

    Ass: Maria Aparecida.

    ResponderExcluir

Quando um homem perde a fé em algo, ele perde a motivação de lutar por esse algo.

Devida situação atípica, os Comentários estão abertos.