Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

sexta-feira, 1 de julho de 2016

Quando apontarem o Dedo acusando o Sindicato, o jurídico do sindicato, ou Advogado "A" ou "B", ou ao próprio Judiciário, lembrem-se: façam antes uma auto avaliação, um dedo aponta acusando, há outros quatro dedos dobrados apontando em sua direção.

ASSISTAM ESSSE VÍDEO E REFLITAM: RICARDO BOECHAT FAZ UM RETRATO SOBRE O JUDICIÁRIO BRASILEIRO:
    A PARTIDA NO TRT TERMINOU AS 10H COM A EMGEPRON VENCEDORA, NO DIA 30/6. 

    O PLACAR E O PRÊMIO EM JOGO, COMPANHEIROS? SEUS DIREITOS SINDICAIS. 

O RESULTADO FOI 8X2 PARA O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS. HÁ UM NOVO MILIONÁRIO NO BRASIL, GRAÇAS À ESTATAL DA MARINHA DO BRASIL.

Com isso, segundo informação, dezenas de pais e mães de famílias foram demitidos, agora, nesse momento, no Laboratório Farmacêutico da Marinha, LFM.

ENQUANTO OS TRABALHADORES COLOCAM TODA SUA ESPERANÇA NAS MÃOS DE ADVOGADOS QUE CONSIDERAM "MAIS FORTE QUE OUTROS", 10 DESEMBARGADORES DERRUBARAM SUAS AÇÕES INDIVIDUAIS POR PISO PROFISSIONAL DE ACORDO COM A REPRESENTATIVIDADE TRANSITADA EM JULGADO.

CONTRA QUEM ESTAMOS LUTANDO?

    Ontem foi o julgamento da famigerada Ação Rescisória que visou derrubar todos os processo individuais dos trabalhadores que pediram cumprimento da Convenção Coletiva de Trabalho. Dos 10 Desembargadores, 8 deles deram apoio à Empresa; 8 deles disseram que conheciam a empresa e que ela era apenas empresa de gerenciamento de projetos, de suma importância na Defesa Nacional e blá, blá, blá.

    Nesse dia, da foto abaixo, os Trabalhadores deram tiro no próprio pé: se recusaram a vir à luta por que não queriam se expôr, ou não tinham intenção de voltar a trabalhar na Empresa, e  8 homens que nunca puseram uniformes, de origens aristocrata, que não conhecem a pobreza, não sabem o que é ganhar salário mínimo, tiraram seus direitos.

Protesto com 11 trabalhadores, acontecido em março, desse ano, em frente ao Distrito Naval, visando dar publicidade à política trabalhista da Estatal da Marinha do Brasil. 
    Nesse Blog, medi a temperatura dos Trabalhadores através das estatísticas do Google: Vocês querem boas notícias, mas não irem à luta por elas. O que seria uma das formas de lutar, iniciada pelo João Carlos que se articulou em espalhar as Ações Individuais e tirar das mãos dos Sindicato que, na época, se recusava a entrar com as Ações Individuais, se tornou para os trabalhadores como o ponto final da luta, pois, a partir dali, se recusaram a se unirem e passavam a largo de nós; se recusavam a virem à rua, a se unirem nos protestos que tínhamos em mente visando dar publicidade á Causa.

    ("Minha luta agora e na justiça e não vou me expôr. Meu negócio agora é com meu advogado(a); isso, quando não cuspiam no chão e viravam o rosto para lado oposto ao dos 40 trabalhadores, presentes nas escadarias próximas, ao Rancho do AMRJ, pactuados em seus protesto silenciosos na hora do almoço.")

    Desde 2011 vi os trabalhadores, em sua maioria esmagadora, quando não displicentes por se acharem numa situação melhor que os demais, se esquivando da responsabilidade; colocando seus interesses pessoais  acima do da coletividade; julgavam que seus advogados seriam espertos suficientes para vencer a Estatal; sempre criticando homens como Nilo e outros; sempre fazendo o duelo dos "deuses", ou seja, meu advogado e melhor que o seu, o advogado tal é fraco e o meu é das galáxias. Acreditaram que, nesse país corrupto, juízes seriam justos? 

    Nesse Blog, sempre culpei os trabalhadores e os Oficiais da Marinha do Brasil por todo mal que os trabalhadores sofrem, e continuo culpando-os. 

19 comentários:

  1. Falou tudo Alexandre!!!

    Como diz o saudoso Renato Russo.

    QUE PAÍ$ É E$$E?

    É A PORRA DO BRA$IL.

    ResponderExcluir
  2. CADA POVO TEM O GOVERNO QUE MERECE ..... CADA CLASSE TRABALHADORA TEM OS DIREITOS QUE MERECEM TAMBÉM ..... SE DE 1700 FUNCIONÁRIOS .. APENAS 15, 13 OU ATÉ MESMO 11 É QUE SE MANIFESTAVAM EM BUSCA DE SEUS DIREITOS ...NÃO SERIAM 8 DESEMBARGADORES QUE IRIAM COMPRAR ESSA BRIGA ... OU SEJA, SE A MAIORIA NÃO ESTAVA NEM AI .... ENTÃO POR QUE ELES DESEMBARGADORES IRIAM SE EXPOR CONTRA A UNIÃO ?

    ResponderExcluir
  3. então quer dizer q nem o piso salarial não vamos ter?

    ResponderExcluir
  4. UNICO PISO NESSA SITUAÇÃO É O CHÃO ONDE TODOS OS TRABALHADORES DA EMGEPRON SERÃO ESMAGADOS PELA FORÇA CAPITALISTA EXISTENTE NESSE PAIS ... ONDE A AUSÊNCIA DE SENSIBILIDADE E JUSTIÇA CHEGOU TAMBÉM AO JUDICIARIO.
    ASS. URSOMAR

    ResponderExcluir
  5. E não cabe mais recurso por parte do sindicato? sim porque quando ganhamos a representatividade,eles,a estatal,recorreram!O sindicato deve fazer o mesmo.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cabe e, pelo que o Melqui me disse, vão recorrer sim. Mas, o recurso não altera o fato que o Sindicato dos Metalúrgicos não é mais o sindicato representante dos trabalhadores da Emgepron. Somente se o Tribunal Superior do Trabalho, TST, confirmar a decisão da Juíza Gláucia é que o Sindimetal Rio volta a sê-lo.

      O que fico triste é ver trabalhadores se enganando e enganando outros dizendo que o Sindicato ainda representa os trabalhadores. Só se lembrem que eu tentei alertá-los, mas sempre vinha uns e outros me chamarem de pessimista...

      Pagaram para ver os advogados vencerem no campo que a Estatal da Marinha tem mando (justiça), agora aguentam.

      Excluir
    2. Boa noite,companheiro! E o sindicato,já recorreu ou se entregou?

      Excluir
  6. Qual o número do processo da ação recisória ?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Li num texto acima que o sindicato, por conta da ação rescisória ter chegado ao final da segunda instância, o sindicato não mais representa os trabalhadores metalúrgicos .... Mas como pode isso se o processo ainda não terminou e nem existe nenhuma publicação do DOU ?

      Excluir
    2. Peço desculpas pela demora em responder, desde o início desse mês que quase não tenho tempo para nada pessoal.

      A Empresa venceu, ela derrubou a sentença da Juíza Gláucia Zuccari que deu a representatividade Sindical dos Trabalhadores da Estatal ao Sindimetal Rio: Os 08 Desembargadores deram anularam a sentença da Juíza Gláucia. Se o recurso vai ser aceito pelo Tribunal Superior do Trabalho é a mesma "incógnita" que supostamente se tinha, ou seja, se a Ação Rescisória movida pela Administração Militar que controla a Estatal iria se aceita pelo TRT1.

      Se o Recurso do Sindimetal Rio for aceito pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST) e vir a modificar a decisão desses 08 Desembargadores, então venceremos (e a Estatal pode tentar anular a vitória recorrendo ao Supremo (STF). Se não, a Estatal venceu.

      O fato de o objeto da disputa (ação rescisória de desconstituição de sentença transitada em julgado) estar em júdice não quer dizer que a parte derrotada (sindicato) não perdeu a representatividade.

      A Empesa não havia perdido até o TST reconhecer a vitória do Sindicato em 2013 (se lembra que a maioria de nós se perguntava como pode a juíza ter dado a sentença reconhecendo e a empresa não reconhecer a representatividade? pois, bem, quando, em 2013, o TST confirmou a sentença da Gláucia Zuccari, a empresa começou a pagar os impostos sindicais ao Sindimetal Rio. Agora, quem perdeu foi o Sindimetal Rio, o que você acha que aconteceu? Continuamos vencendo? Os Desembargadores do TRT estão acima da Juíza Gláucia e, infelizmente, deram razão à Empresa na alegação dela que sofreu uma "injustiça" por não ser empresa de metalurgia).

      Vencemos em em todas instâncias judiciais trabalhistas, mas a empresa derrubou a sentença judicial das três instâncias, inclusive a da 5ª Turma de Desembargadores (Desembargadora Mirian Lippi Pacheco, se lembra?).

      Os 08 Desembargadores disseram que a atividade fim da Empresa não é metalurgia e que houve um erro (injustiça contra a empresa). Mesmo contratando operários para trabalhar para a Marinha do Brasil em seus navios, andando dentro da atividade metalúrgica, os Desembargadores aceitaram o pedido do Advogado de "MAIS 1 MILHÃO E MEIO DE REAIS".

      Como exemplo, dou-lhe o que está escrito no processo da Ação Rescisoria:

      Em 08/07/2016, os Desembargadores disseram que foram Julgados procedentes, por eles, os pedido de EMPRESA GERENCIAL DE PROJETOS NAVAIS - CNPJ: 27.816.487/0001-31;

      em 05/07/2016, deram Certidão de Julgamento à Administração Militar na Estatal para ser usado nas ações individuais de cumprimento de sentença.

      Algo foi julgado, houve uma decisão e não foi favorável aos trabalhadores. Essa decisão favorável à Administração Militar já está sendo usada contra nós.

      Ressalto, se os Ministros do TST, em Brasília, vão aceitar o recurso do Sindimetal Rio ou não, eu não sei;

      se vão concordar com a decisão dos 08 Desembargadores ou não, não sei. Só sei que, a princípio, o Sindimetal Rio não representa mais os Trabalhadores da Estatal.

      Excluir
  7. É só o sindicato recorrer! Assim como a estatal recorreu quando,por unanimidade, conseguimos a nossa representatividade na "quinta turma"! Tem que recorrer!

    ResponderExcluir
  8. É só o sindicato recorrer! Assim como a estatal recorreu quando,por unanimidade, conseguimos a nossa representatividade na "quinta turma"! Tem que recorrer!

    ResponderExcluir
  9. Amigos tristemente vejo que a corrupção reina, no judiciário.
    Nos Temos que se mobilizar com o sindicato e lutar. Os que ainda estão trabalhando nesta empresa cuidado, que brevemente vc estará ganhando complemento de salário minimo´pois, a empresa não repassa a inflação a quase três anos. Pra piorar tem sindicato vendido que quer fazer acordo com a empresa sem discutir reposição da inflação.

    ResponderExcluir
  10. viva nosso presidete teme,viva boussonaro,viva pesdeb,foradiuma ladra,fora pt.meu povo

    ResponderExcluir
  11. Até os caras da IMBEL estão lutando ...

    http://fsindical.org.br/forca/sindicatos-unem-forcas-em-manifestacao-pela-defesa-dos-direitos-dos-trabalhadores-da-imbel

    ResponderExcluir

Quando um homem perde a fé em algo, ele perde a motivação de lutar por esse algo.

Devida situação atípica, os Comentários estão abertos.