Entenda a realidade na Emgepron.

Entenda a realidade na Emgepron.
Observem: Nesse Blog não há intenção de denegrir ninguém. A ideia é tornar pública as injustiças e estimular a luta por justiça. As referências feitas a pessoas são meramente por situações ocasionais e contextuais que ajudam ou, muitas das vezes, dificultam essa tão sonhada justiça, situações típicas de "ligar o milagre ao santo" que o praticou. O Blog se destina a crônicas, opiniões, desabafos e comemorações sobre a vitória dos Trabalhadores sobre a Injustiça.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.

DOCUMENTO PUBLICADO EM 23 DE AGOSTO DE 2014.
DOCUMENTO DO 1° DN À PROCURADORA ISABELA TERZI DO MPT/ADMINISTRAÇÃO DA ESTATAL CONTRATOU O ADVOGADO DE 1 MILHÃO QUINHENTOS E QUARENTA E OITO MIL REAIS PARA ANULAR A SENTENÇA TRANSITADA EM JULGADO.

segunda-feira, 30 de março de 2015

Cabe ao Sindimetal Rio fazer comunicado aos Trabalhadores e ao MPT, por escrito, sobre as tratativas do PCS entre Sindimetal Rio e a Administração da Estatal.


O Ministério Público do Trabalho (MPT) vai investigar se a Ação Rescisória movida pela Estatal é justa. 

Aquilo que planejamos em fazer, nós estamos fazendo.



   Precisávamos do apoio dos Trabalhadores nos ATOS em frente ao MPT. Precisávamos do apoio dos Trabalhadores, mas, depois da febre do não vou me expor porque "é mais fácil a gente passar para quadro da União que o Sindimetal entrar na Emgepron", agora veio o não vou me expor porque "minha luta agora é na Justiça..." 

   Essa é mais uma forma dos Trabalhadores amedrontados se esconderem da luta por seus direitos, hoje. 

   Abaixo, o Processo de um Engenheiro, ativo no Quadro Funcional da Estatal:


    Assim como nós, o SENGE RJ entrou com Processo coletivo para que os Engenheiros da Estatal recebessem Piso Salarial igual ao dessa Categoria e abriu, ao mesmo tempo, Processos Individuais, para aqueles que quisessem. Alguns Engenheiros entraram com ações individuais, mas, desde 2006, eles lutam na Justiça e ainda não receberam salários justos aos salários das suas profissões.

   Escrevo isso para que vocês se lembrem que conhecer a história evita repetir os erros do passado.

   Lutem por direitos garantidos, sim, na Justiça, mas não deixem de lutar para receber salários justos hoje, agora. Deixem que os Advogados discutam com Juízes e Desembargadores o valor de seu retroativo. Não se acomodem com essa incógnita, pois isso pode levar anos a fio... Talvez, décadas.

    O MPT está pedindo explicação à Administração da Estatal sobre o PCS que desde 2007 a Estatal promete fazer, faz, mas não aplica... ou seja, se vocês não receberem seus salários justos, é para lá que deveriam se encaminhar em ATOS de Protestos.  


   Dia 08, desse mês de Abril, o Sindimetal Rio estará na Sede da Estatal, mas convém que os Empregados da Estatal estejam atentos:



Todos os Empregados da Estatal sabem que a Fundação Instituto da Administração (FIA), uma fundação da Iniciativa Privada, elaborou o PCS contratado pela Estatal, mas o Sindicato dos Metalúrgicos não teve parte nele.





   Nessa Reunião, a Estatal pede para que o Sindimetal Rio discuta pautas do Acordo Coletivo de Trabalho (ACT), esse foi o objetivo do e-mail da Estatal enviado ao Sindimetal. Segundo o Jurídico do Sindimetal, no e-mail, não citava nenhum PCS. Nesse caso, o Sindicato tem a obrigação de abordar o tema Piso Salarial, exigido pela Procuradora do Trabalho. Deve forçar a situação e impor isso.

   Não se trata de negociação de piso salarial inferior ao da Convenção, mas de interesse do Ministério Público do Trabalho. Até onde sei, o SINTEC Rio não conseguiu reajustes salariais para os Técnicos da Estatal; tudo leva a crer que a barreira que o Sindimetal Rio encontrará é a mesma que o SINTEC Rio encontrou. 

  Agora, quem pede para ser informada se o Sindimetal Rio está na negociação é a Própria Procuradora do MPT. 

  Cabe ao Sindicato impor-se e alimentar o Ministério Público do Trabalho de informações que ajudem os Trabalhadores a receber piso salarial da categoria, pois, segundo ATA de Audiência, com a Procuradora do MPT, o Advogado da Estatal respondeu e assinou a seguinte afirmação: "que a empresa está trabalhando na elaboração do plano de cargos e salários para tentar se enquadrar nos pisos salariais".  Isso, diante da Procuradora Isabella Gameiro da Silva Terzi. 

   Se o Sindimetal Rio não explorar essa linha, então perderá uma grande oportunidade de colocar a Administração da Estatal contra a parede. Perderá a chance de pôr um fim a essa injustiça escudada em o inalcançável DEST/MPOG, em portarias do DEST e Decreto-lei.




   Cabe ao Sindimetal Rio fazer comunicado aos Trabalhadores e ao MPT, por escrito, sobre as tratativas do PCS entre Sindimetal Rio e a Administração da Estatal. Deve dar subsídios ao Ministério Público informando-o sobre as tais tratativas. Somos nós que sentimos o aperto do arrocho salarial imposto pela Estatal, a cada mês, todos os anos.

   Um documento oficial do Sindimetal Rio descrevendo o tema abordado nessa Reunião torna-se importante para os Trabalhadores da Estatal Emgepron, para que possa ser enviado a Procuradora Isabella Gameiro da Silva Terzi do Ministério Público do Trabalho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Quando um homem perde a fé em algo, ele perde a motivação de lutar por esse algo.

Devida situação atípica, os Comentários estão abertos.