Trabalhadores da Estatal sofrem novas demissões em massa hoje.






Maluf e Militar durante a Ditadura Militar.

    Esquema de empreiteira em São Paulo começou com Maluf há quase 40 anos, diz delator

    Ex-presidente da Odebrecht, Pedro Novis, relatou à força-tarefa da Lava Jato corrupção de agentes públicos e políticos paulistas nas obras de duplicação de ferrovia e construção de hidrelétrica durante o regime militar.

    Novamente, os Oficiais da Marinha do Brasil estão com sangue nos olhos e corações amargos: a maldade de perseguir e demitir os sofridos e mal remunerados empregados da Estatal da Marinha se repetiu: Trabalhadores da Estatal lotados no Arsenal de Marinha do Brasil escreveram para o Blog comunicando outra demissão em massa que já está acontecendo nesse momento em que escrevo esse texto.

    Os trabalhadores estão reféns, sem reação. A saída é a organização dos trabalhadores e denunciar a covardia praticada pelos Oficiais da Marinha nas ruas. Não há conquistas trabalhistas sem lutas e, inevitavelmente, a luta dos trabalhadores tem perdas. Vocês perderam grandes trabalhadores de luta durante essas duas decadas, por últimos, seu João, Jonas, Fom Fom e tantos outros trabalhadores que, de uma forma ou outra, se organizaram e lutaram contra essa maldade de homens que os veem como descartáveis enquanto vocês têm tanto direitos quanto eles.

   Nilo é um grande homem, apesar do temperamento. Ele só pede apoio de vocês para organizar passeatas e protestos com apoio do sindicato dos metalúrgicos que também está disposto a enviar carros de som e apoio logístico ao Ato.

   Vocês prestaram concursos públicos para estarem nessa Empresa Pública criada pela Marinha do Brasil, já a esmagadora maioria dos servidores da União não prestaram concurso público. Quem têm mais moral para estare aí dentro?

Leiam também:

Postagens mais visitadas deste blog

Recado da Doutora Regina aos trabalhadores e ex-trabalhadores.

Demissões na Estatal Emgepron em junho de 2018.